quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Tarde em Itapoan

0 comentários

Tarde em Itapoan

Manhã de domingo, aquele sol entrando pela janela, primeiro pensamento: PRAIA! Yes! Escolho biquíni, ponho bronzeador (uma mistura louca, depois te passo a receita) e uma vasilha de petiscos dentro da bolsa e lá vou eu. Entro no buzú com um só pensamento: vou voltar de Itapoan toda queimada!

Já na ida aquele pagodão nervoso no fundo do transporte, e diga aí: “... é todo enfiado, todo enfiado...”. Que alegria! Que satisfação! Nesse clima de amizade, onde todos somos irmãos, chego à praia. Mar à vista! V’umbora.

Estendo minha canga na areia e é só alegria: compro minha latinha de Nova Schin, me lambuzo com meu óleo de beterraba, coloco minha lupa fechativa comprada ali na ótica “Foda com sua retina” que fica numa passarela entre o Iguatemi e a Rodoviária. Ai ai, o sol tá lascando em banda, que maravilha! Tô sentindo minha pele borbulhar, mas tá calor demais, lá vou eu dar um mergulho, e não é que quando eu entro n’água escuto o tsssss da minha pele no mar! Hum, o sol ta queimando mesmo! Massa!

Volto pra minha canga, pego minha farofa de calabresa e minha cervejinha e faço crescer a minha protuberância abdominal. Ah! Mas hoje é domingo, dia de sol e cerveja, tenho que cumprir as tradições. E o tempo vai passando, 13h, 14h , 15h, 16h, agora sim!

Ponto de ônibus de volta pra casa, lá vem o infeliz socado, com gente saindo pelo ladrão. Agora a situação é mais complicada, estamos sujos de areia, com uma mistura de bronzeador, suor e água do mar... êta verão retado! Todo mundo roçando em todo mundo e meus ouvidos curtindo os batuques lá do fundão: “...tudo, tudo, tudo até o talo...”.

0 comentários
0 comentários

Dicas

0 comentários
Nas “Dicas de Como Você Enfrentar Uma Situação Absurda” de estréia vamos abordar a situação que aconteceu com nossa amiga Vanessa Falcão. Ela nos disse que chegou ao ônibus exausta da faculdade e, de repente, aparece uma senhora com um monte de sacolas. Até aí tudo bem, mas quando menos se espera a infeliz jogou tudo no colo dela, alegando que aquelas sacolas estavam pesadas demais para carregar em pé.
Então, Vanessa se ligue nas dicas selecionadas a dedo para te ajudar a superar esse dramático acontecimento:
1 – Nunca, mas nunca tente revidar com desaforo o absurdo recebido, um barraco no buzú é a última coisa que vai querer;
2 – Mantenha a calma, respire fundo e finja um leve sorriso, afinal de contas você é superior a situação e não irá se importar com quilos de sacos em seu colo;
3 - Se, por algum acaso, o ônibus frear abruptamente, aproveite, essa é sua chance de aplicar uma pequena vingança, deixe todas as coisas caírem, em seguida vire para ela e faça uma cara de “oops, caiu!”;
4 – Assalto no ônibus? Ótimo! Entrega todas as coisas dela ao bandido. Quem sabe não há alguma coisa que o interesse;
5 – Seu ponto chegou, ela está distraída. Corra, leve consigo todas as sacolas, assim suas compras do mês estarão garantidas;
6 – Cansou de toda essa humilhação? Parta para escrotidão, humilhe o próximo. Despeje as sacolas na pessoa ao lado. Mas não se esqueça do olhar de malvada sanguinária, pois assim ela irá saber com quem está lidando e se pegar com coisa talvez não saia viva deste ônibus;
7 – Você percebeu que nada disso deu certo. Então, atire na véia, quando ela estiver estirada no chão, chegue próximo e repita: “Aqui é Vanessa, piranha!”.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

0 comentários

Olha a água mineral, mata sua sede e não faz mal!

Essa é a forma mais popular para a venda desse produto... Até agora... Passando em frente à Catedral da Fé descobri uma nova finalidade para a água, e pasmem! Não foi um cientista que descobriu ou mesmo divulgou essa nova finalidade... Eu passava distraído pela praça em entre a Universal e o Iguatemi quando ouvi – Compre sua água mineral para o bispo consagrar. Custa só um real! Não pude me conter, e logo caí na gargalhada. Fiquei na dúvida de quanto eles cobrariam se o Macedão já tivesse consagrado a água. Convenhamos que, com unção ela teria quer ser mais cara.

É por essas e outras que dizem que os baianos são o povo mais criativo do Brasil.

0 comentários

Sei não, viu?!

0 comentários


Que maluquice...

Depois diz que nóis é que é matuto.

Tô eu passano no caminho de volta das minha plantação para casa quando vi uma minina bunita, forte, corada, cometendo um desatino inacreditável!

Só acreditava quem via, ela fazia de tudo, em todas as posição para conseguir, mas não dava pé.

Até que fui chegano perto, cada vez mais perto e perguntei:

- O que cê ta fazeno aí minina?

-Estou tentando me enforcar.

-Aí? Com isso?

-É, por quê?

-Porque não vai conseguir.

-Tá bom! E o senhor tem alguma sugestão por acaso?

-Sim, sim. Invés de tentar se enforcar no pé de coentro, tenta no pé de cebolinha, pelo menos consegue dá o nó!